O seu canal de inteligência em turismo e hotelaria!

TOP 9 Tendências do Mercado Hoteleiro para 2016


Top 9 Tendências da Hotelaria e do mercado hoteleiro


Vivemos um momento diferente na história do turismo e da hotelaria. Nosso setor que por muito tempo ficou estagnado com poucas inovações relevantes, começou a ver recentemente o avanço da tecnologia e novas soluções que estão transformando o mercado em uma velocidade avassaladora.


Assistimos recentemente o Airbnb se tornar a empresa com maior número de quartos disponíveis sem jamais ter construído um único hotel. Da mesma forma, o Uber se tornou uma das maiores empresas de transporte de passageiros do mundo sem ter um único veículo em sua frota comercial.


Diante de um cenário assim, certamente 2016 tende a ser ainda mais surpreendente. Então, listamos algumas tendências que devem crescer e outras que se consolidarão neste ano. Acompanhe:

1. Wearable Devices

As chamadas Tecnologias Vestíveis (Wearable Devices) serão as grandes novidades de 2016 para a indústria do turismo.


Destaque especial para o Oculus Rift, de realidade virtual. Segundo analistas da empresa de pesquisas Phocuswright, a tecnologia vai ajudar os turistas a decidirem para onde vão viajar. Os tours virtuais serão feitos pelos dispositivos de realidade virtual e podem permitir que os viajantes “experimentem” um destino antes de reservar a viagem, ou visitem o quarto de um hotel, antes mesmo de saírem de suas cidades.

Uma operadora de turismo africana, Matoke Tours, já utilizou a técnica, criando um aplicativo com vídeos 360 graus com seis experiências em Uganda, para os clientes experimentarem o destino na própria agência. Já a rede de hotéis Marriott, por exemplo, lançou o “VRoom Service”, onde os hóspedes podem pegar emprestado um dispositivo e experimentar os “cartões-postais VR”, onde poderiam visitar Chile, Ruanda e Pequim. Imagine o seu hóspede chegar na recepção do hotel, perguntar o que ele deve visitar na cidade, e você oferecer que utilize o Oculus Rift e veja em realidade aumentada todos os pontos turísticos da cidade, e aí sim decidir para onde se deslocar. Não seria incrível?!



2. Economia Compartilhada


Em 2015 vimos a consolidação de gigantes como Airbnb e Uber, e por mais assustador que isto possa parecer este movimento está apenas nascendo. Neste ano de 2016 certamente veremos nascer mais serviços neste formato. Algumas redes de hotéis já oferecem cupons promocionais do Uber para seus hóspedes. Também já existe OTA que permite ao viajante reservar apenas uma cama, e compartilhar o quarto do hotel com outro hóspede desconhecido.



3. Experiências locais


Muitos viajantes da nova geração “Millennial” querem visitar o destino acompanhado de uma pessoa “local” e conhecer a realidade da cultura, dos costumes, da culinária típica e não apenas os pontos turísticos tradicionais lotados de gente, com preços exploratórios, e filas para todos os lados. Desta demanda devemos ver o crescimento e a consolidação de agências especializadas em roteiros para apaixonados por esportes ao ar livre, culinária, música, enfim roteiros segmentados por experiência e estilo de vida.


4. Novos conceitos para o setor de alimentos e bebidas


Antigamente pensava-se em focar todos os esforços de revenue management na tarifa dos quartos. Agora os hotéis estão modificando toda a experiência dos hóspedes para maximizar o lucro também com alimentos e bebidas. Para isso os conceitos arquitetônicos estão sendo modificados. Se antes tínhamos um ambiente de jantar, totalmente separado do bar, agora a arquitetura tenta integrar ao máximo todos os espaços para agradar a nova geração “millennial” de hóspedes que prefere trabalhar com seu notebook, tomando um drink no bar do hotel, e interagindo com outras pessoas, ao invés de trabalhar em uma mesa, sozinho, dentro do próprio quarto.


Nesta nova realidade, experimentar o prato de um chef local que faça um prato típico no próprio hotel, integrando os visitantes, e com happy-hour no bar após o jantar, pode ser mais interessante que ir a um restaurante da cidade.


Wolfgang Lindlbauer, executivo de operações globais da rede Marriott disse que a rede ofereceu até 50 mil dólares para empreendedores desenvolverem novos conceitos de restaurantes dentro de hotéis Marriott, e a competição foi intensa. Em uma unidade de Londres foi aberto desta forma o RoofNic, um bar-restaurante com conceito de picnic que se tornou um grande case de sucesso.

*Imagem: Roofnic - Londres


5. Design e mais design


A nova geração é muito atenta ao design! E quando falamos em design, isso inclui toda a identidade visual da sua marca, seu website, aplicativos, e a arquitetura do próprio hotel. O design está cada vez mais flat, simples, objetivo, e os ambientes nos hotéis mais divertidos e ligados ao propósito que a marca quer gerar de conexão com seu público.


Mesmo hotéis executivos tendem a adotar ambientes mais “cool”. Um bom referencial são as empresas do Vale do Silício, como o Google, com ambientes executivos totalmente informais e voltados para a interação, e a conexão com o ambiente. A própria rede Ibis vem modificando bastante a arquitetura da recepção de seus empreendimentos, com mais luzes coloridas, ambientes mais descontraídos.

*Ibis Arapiraca - Alagoas

6. Revenue Management será o tema central das reuniões

Cada vez mais os hotéis investirão tempo em definir estratégias para maximizar o lucro, e analisar qual cliente é mais rentável, quais tipos de quartos esses clientes buscam, quais melhorias nos quartos, ou no hotel poderão agregar mais valor ao preço da diária, quais canais devem ser fortalecidos, etc. As próprias OTA`s e os sistemas ERP`s começam a aprimorar as soluções de revenue management e ajudar os hoteleiros na previsão da demanda, otimização de preços, e distribuição otimizada do inventário. E com este assunto cada vez mais relevante, profissionais e agências de marketing especializadas nestes assuntos serão ainda mais valorizados em 2016.


7. Conteúdo personalizado

Diante do bombardeio de informações e anúncios disponíveis nas redes sociais e na internet, o conteúdo e anúncios online precisarão falar exatamente aquilo que seu cliente quer ouvir para ter a atenção daquele usuário. Logo, para gerar engajamento com seus clientes, sua comunicação precisa ser muito personalizada.


Por isso, as agências de marketing hoteleiro devem estar cada vez mais preparadas para produzir variadas peças para cada tipo de público que o seu hotel possui. Isso significa que sua campanha de Páscoa, pode ter comunicações variadas para atrair a atenção de diferentes perfis de clientes.


Além do conteúdo atraente e personalizado, as tecnologias de entrega precisam ser inovadoras e interativas. O Hotel das Américas, que possui um perfil de hóspede lazer, por exemplo instalou em seu site mobile, um Concierge Online, que informa automaticamente por email a programação atualizada do destino a todos os viajantes que se cadastram na ferramenta, ajudando os futuros hóspedes a planejarem suas viagens economizando tempo em ter que pesquisar sobre o destino. O próprio Booking passou a enviar alguns dias antes da viagem dos seus clientes, um email com todas as dicas e atrações para aproveitar o destino. São iniciativas assim que farão os hóspedes se sentirem acolhidos e conectados emocionalmente com a marca.


8. Métricas para tudo

Tudo hoje pode ser medido! Não só podemos ver o quanto de atenção uma certa campanha de ads gerou, mas também podemos saber a localização geográfica dos interessados, a idade, o comportamento deste usuário na página. Existe tecnologia para medir tudo e conhecer os hábitos e o perfil dos seus clientes como nunca. Estas informações serão utilizadas para campanhas de marketing extremamente focadas nas buyers personas de cada hotel, tornando cada vez mais simples medir o retorno sobre o investimento de cada iniciativa. Você já sabe quanto vale 1 visitante do seu site? Você sabe quanto custa um lead para o seu hotel? Com estas métricas mais apuradas neste ano você conseguirá alocar investimentos com mais certeza para aumentar as reservas diretas e reduzir o custo de distribuição do inventário.

9. Expansão do Omnichannel

Cada vez mais estarão disponíveis meios diferentes de o usuário realizar uma reserva no hotel, seja através de WhatsApp, Facebook, aplicativo do hotel, WeChat, etc, e muitos deles vão ajudar os hotéis a melhorarem as vendas diretas.


E por isso surgiu o primeiro robô de atendimento online multicanal e 24h do setor hoteleiro para tirar as dúvidas dos clientes. Acesse: www.asksuite.com e conheça.


Os meios de pagamento integrados a estes dispositivos vão facilitar ainda mais a vida do viajante. Novas tecnologias de pagamento como o Apple Pay consolidará o mobile como principal forma de adquirir produtos e serviços, inclusive com a compra de passeios, restaurantes e outros serviços durante a estadia nos hotéis.

Para refletir:

Alguns podem estar se perguntando, e o site e campanhas mobile? E as plataformas de Metasearch? Estas questões já foram tendência no ano passado, e para muitos hotéis continua longe de ser realidade. Mesmo hoje com mais de 33% do volume dos viajantes estarem navegando no site dos hotéis via mobile, muitos hotéis independentes continuam perdendo estas vendas com sites da década de 90! Então, é sempre bom refletir para onde queremos ir. Ficaremos na década de 90, no ano passado, evoluir para as tendências atuais, ou vamos lançar as tendências do próximo ano?


Como bem disse Darwin: “Não é o maior que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta as mudanças!”.

Boa semana e ótimas vendas!

Veja aqui as TOP 12 Tendências de Marketing Hoteleiro para 2017

Sobre o autor: Rodrigo Teixeira é apaixonado por marketing digital, hotelaria, e adora viajar! É fundador e CEO da Infotickets Hotel Marketing, que já atende mais de 50 hotéis no Brasil com soluções de tecnologia para aumentar as reservas diretas. (Linkedin do Autor)

Concierge Online para hotel


Faça parte de nossa
comunidade!
+10 mil hoteleiros já acompanham nossos conteúdos

Cadastro realizado com sucesso!

Destaques