O seu canal de inteligência em turismo e hotelaria!

Como a Booking utiliza e como seu hotel pode aplicar as técnicas de senso de urgência


"Depois a gente vê isso"! Quantas vezes você já ouviu e falou isso na hora de decidir uma compra, não é mesmo? Quando é para decidir sobre um gasto incomum, como a reserva de um hotel, as pessoas têm uma tendência natural para adiar a decisão, optando por deixar as coisas para depois e pesquisar mais, buscar promoções, etc.


O problema é que quando isso acontece no mercado hoteleiro, e um visitante chega ao site do hotel, adiar a decisão de compra pode significar a perda definitiva do cliente, já que a quantidade de ofertas online pode levar o usuário a terminar reservando via OTA ou em um hotel concorrente.


Por isso, no mundo do comércio eletrônico, as marcas trabalham incansavelmente para acelerar a decisão de compra dos clientes. Isso é algo comumente conhecido pela técnica de criar senso de urgência.

Olhando de perto para o nosso setor hoteleiro, enquanto as OTAs usam e abusam do senso de urgência, a maioria dos hotéis ainda não trabalha com essas técnicas. Esse ponto de diferença ajudou muito as OTAs a largarem em vantagem e crescerem rápido em vendas, mas sempre há tempo para correr atrás. Acompanhe!


Do mundo offline para o online


Certamente, você já se incomodou com aquelas propagandas de lojas de eletrodomésticos na televisão, com discurso de “só hoje”, “só amanhã”, “só neste final de semana”. É claro que na hotelaria não precisamos ser tão “chatos” (risos), mas essas grandes marcas fazem isso por que realmente funciona!


Ao criar promoções exclusivas e ofertas com datas de término específicas, os clientes são motivados a fazer uma compra por terem apenas uma janela limitada para se beneficiar desta taxa especial. E especialmente no Brasil, o pessoal ama desconto, não é?


Agora vamos aprender com quem sabe!


Como fazem as OTA`s?


A Booking.com é um fenômeno de venda de hospedagem no Brasil, e seu hotel sente isso no bolso todos os meses quando chega o extrato de comissões, não é mesmo? Veja abaixo quantas técnicas de senso de urgência o Booking utiliza:


Note que no exemplo acima, quase metade das informações sobre determinada propriedade são indicadores de urgência, no total 6 técnicas que vamos comentar abaixo:


1. Número de pessoas pesquisando sobre o hotel naquele momento é baseado no princípio de que muita gente está interessada no hotel. E unido ao item 4 isso fica “terrível” na mente do consumidor!! “Tem 4 pessoas pesquisando o hotel e só há mais um quarto disponível! Preciso comprar agora!”.


2. Reservado 3 vezes nas últimas 6 horas também imprime um senso de tempo, que dá ao usuário a chance de calcular quanto tempo ele tem para garantir aquele hotel, e no caso acima calculando vemos que há 1 reserva a cada 2 horas, ou seja, este é o tempo máximo que o cliente tem para comprar!


3. Fala no imperativo com o usuário para garantir o preço ainda hoje, e ao mesmo tempo o conforta de que caso ele se arrependa desta compra por impulso agora, depois ele pode cancelar gratuitamente sem problemas.


4. Este é um ítem relevante! O fato de só haver mais uma unidade restante acelera muito a decisão do usuário.


5. O fato de apresentar o preço “original” e o preço com o desconto específico fornece ao usuário uma certeza ainda maior de que aquela oferta é realmente vantajosa e está valendo muito a pena garantir a reserva agora, antes que volte a tarifa original!


6. Até no Call-to-Action (botão de chamada para ação) o texto da Booking.com tem senso de urgência. Poderia ser um texto simples: Consulte quartos disponíveis, Reserve agora, mas não, eles apelam para: Veja nossos últimos quartos disponíveis.


Agora veja que na mesma pesquisa, no caso hotéis em São Paulo, passando a tela para baixo, me deparei com este hotel abaixo, sem disponibilidade! Mas por quê o Booking faz questão de mostrar um hotel já esgotado se eu procuro naturalmente por hotéis com vagas? Justamente para dar ainda mais valor e credibilidade para todos os itens de senso de urgência que ele utiliza. Pois você olha os indicadores de senso de urgência e se pergunta, “Será que é verdade?” E então quando você vê a imagem abaixo você pensa: “É mesmo, vou reservar aquele hotel antes que acabe como este!!”.



E vale a pena lembrar que o Booking.com faz diversos testes de otimização na página, inclusive com estes itens de senso de urgência para continuamente otimizar a conversão. Então certamente é uma excelente referência.


Então, como aplicar senso de urgência nas ações comerciais do hotel?


Se as OTAs dominaram a arte do senso de urgência, ainda há tempo para os hotéis replicarem e ainda aplicarem novas táticas dentro destes conceitos, com algumas adaptações já que são modelos de negócios distintos. Veja algumas formas que estão dando muito certo para seu hotel aplicar:


1. No site do hotel


O Fazzenda Park Hotel vem aplicando com uma certa frequência a tecnologia do TIMER para acelerar a decisão de compra do usuário que chega ao seu website de forma a otimizar a conversão de visitas em reservas. Afinal, não adianta seu hotel gastar milhares de reais por mês com Facebook Ads e Google Adwords se o usuário chegar ao seu site e não ser influenciado a tomar a decisão de reservar. Veja que o Timer possui um cronômetro regressivo para acelerar a decisão de compra do usuário para aquele período específico.


No caso o Fazzenda abaixo eles estão procurando aumentar a taxa de ocupação e acelerar as vendas de um fim de semana.



Após clicar no Call-to-Action (botão de "reserve agora") na aplicação, o usuário é direcionado para o motor de reservas do hotel com o desconto de 8% já aplicado à tarifa.


Aqui você consegue baixar o Case Completo do Fazzenda Park Hotel e os grandes resultados obtidos ao comunicar no TIMER o Pacote de Páscoa e Carnaval de 2017.


2. Senso de urgência aplicado em e-mails


Tanto nas campanhas de e-mail marketing, quanto nos emails de resposta às solicitações de cotações, é muito importante inserir alguns destes itens de senso de urgência. Por exemplo, se você vai responder a uma cotação, logo abaixo do preço você deve colocar no e-mail a observação: “*só temos mais 3 unidades deste quarto disponíveis”. Da mesma forma no e-mail marketing que fale sobre um pacote específico, você deve colocar frases no corpo do e-mail que acelerem a decisão do usuário, neste caso de forma mais discreta para não ficar muito comercial.


3. Senso de urgência aplicado à central de reservas


Por fim, o setor comercial de reservas do hotel, quando receber ligações para saber sobre disponibilidade e preços, deve incluir no discurso de contato, incluindo na resposta que restam poucas unidades disponíveis, ou que o hotel está para fechar um grupo que deve lotar o hotel, e induzir o potencial cliente a reservar o quanto antes.


Estes foram alguns exemplos de aplicação, mas, claro, isto pode ser aplicado em várias outras comunicações.


Agora é hora de ir para a ação, reunir a equipe e começar agora a converter mais com estas dicas práticas de aplicação de senso de urgência!


E aí, gostou? Compartilhe com o trade e até a próxima!

Sobre o autor: Rodrigo Teixeira é apaixonado por marketing digital, hotelaria, e adora viajar! É fundador e CEO da Infotickets Hotel Marketing, que já atende mais de 50 hotéis no Brasil com soluções de tecnologia para aumentar as reservas diretas. (Linkedin do Autor)

Faça parte de nossa
comunidade!
+10 mil hoteleiros já acompanham nossos conteúdos
Destaques
Arquivos

A Infotickets é especializada em soluções para aumentar as reservas diretas de hotéis. Nós reunimos pessoas apaixonadas por marketing hoteleiro, tecnologia, e gestão hoteleira para criar soluções únicas que entreguem a cada viajante a mensagem certa, no momento correto e com a tecnologia de entrega perfeita.

 

 

 

  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

Soluções

Novidades

Empresa

Copyright © 2016 Infotickets Tecnologia Ltda. All rights reserved. Daily developed in Floripa, Brazil.

(48) 4042-2036